Mato Grosso

Mato Grosso – Localizada na Região Centro Oeste do Brasil

O Mato Grosso é uma das 27 unidades federativas doBrasil. Está localizado na região Centro-Oeste, sendo o terceiro maior estado com uma extensão territorial de 903.329,700 km² , com uma população de 3.035.122 milhoes de habitantes distribuidos em 141 municípios (IBGE 2010).   Tem a porção norte de seu território ocupada pela Amazônia Legal, sendo o sul do estado pertencente ao Centro-Sul do Brasil. Tem como limites: Amazonas, Pará (N); Tocantins, Goiás (L); Mato Grosso do Sul (S); Rondônia e Bolívia (O).  Sua capital é Cuiabá.

Dados de Mato Grosso

Localização: O Estado de Mato Grosso está localizado na parte ocidental da Região Centro Oeste do País.

Área: 903.329,700 km²

Hora local: -1h em relação ao horário de Brasília (DF)

Capital:Cuiabá

Data de fundação: 8/4/1719

Limites:

Norte : Estados do Amazonas e Pará
Leste : Estados de Tocantins e Goiás
Sul : Estado de Mato Grosso do Sul
Oeste : Estado de Rondônia e a Bolívia.

Clima: O clima é tropical semi-úmido e tropical de altitude, com chuvas de verão e inverno seco. A temperatura média na maior parte do Estado varia entre 23º e 26 º. O índice pluviométrico varia de 1.500 mm a 2.000 mm por ano.

Hidrografia: A bacia hidrográfica de Mato Grosso ocupa toda a extensão do Estado e se encontra distribuída entre as Bacias Amazônica (615.020,1 km²) e do Tocantins (116.486,5 km²). Os rios Juruena, Teles Pires, Xingu, Araguaia, Paraguai, Piqueri, São Lourenço, o Rio das Mortes e o Rio Cuiabá encontram-se entre os mais importantes do Estado.

Vegetação: Apresentando relevo pouco acidentado e alternando um conjunto de grandes chapadas com altitudes médias entre 400 e 800m e áreas de planície pantaneira, sempre inundadas pelo rio Paraguai e seus afluentes, o Estado do Mato Grosso possui um conjunto de três ecossistemas principais: o pantanal (10% da área), o cerrado (40% da área) e a floresta amazônica (50% da área).

Uma grande parcela do território mato-grossense é composta por cobertura vegetal de floresta equatorial, que corresponde ao tipo de vegetação da floresta amazônica.

Já ao sul da capital, Cuiabá, o tipo de vegetação que predomina é o cerrado, esse bioma é composto por árvores baixas com troncos retorcidos, folhas e cascas grossas, além de uma vasta vegetação rasteira formada por capins nativos e arbustos.

Na área que está localizado o Pantanal o tipo de vegetação é variado, chamada pelos estudiosos de área de transição entre cerrado, campos, floresta seca, floresta equatorial, floresta tropical, desse modo, não há um tipo homogêneo de vegetação.

Relevo: Planalto e chapadas no centro, planície com pântanos a oeste e depressões e planaltos residuais a Norte.

Esse relevo é composto de três unidades distintas:

• O Planalto Mato-Grossense, que serve de divisor de águas entre os rios que correm para o Paraguai e os rios da bacia do rio Amazonas. É formado por uma série de planaltos cristalinos e chapadões sedimentares, com altitudes que variam, em média, de 400 a 800m;

• O planalto arenítico-basáltico, localizado no sul do estado, simples parcela do Planalto Meridional.

• Uma pequena parte do Complexo do Pantanal, baixada da porção centro-ocidental. Ao sul do Planalto Brasileiro, situa-se o divisor de águas entre as bacias dos rios Paraguai e Amazonas. A maior parte é drenada pelo rios da bacia do rio Amazonas.

As serras mais importantes são as seguintes:

• Serra dos Parecis
• Serra Formosa
• Serra do Norte
• Serra dos Caiabis;
• Serra dos Apiacás, no norte
• Serra do Roncador, no leste

A nordeste do Planalto Mato-Grossense, localizam-se duas grandes depressões, separadas pela Serra do Roncador:

• Depressão do Alto Xingu
• Depressão do Médio Araguaia

Essas duas áreas constituem amplas planícies inundáveis alagadas periodicamente pelas enchentes dos rios. Mato Grosso conta ainda com uma porção do Complexo do Pantanal, extensa planície alagadiça, com altitudes que vão de 100 a 300m.

Hidrografia: A rede fluvial de Mato Grosso pertence a dois sistemas hidrográficos: a a bacia do rio Amazonas e a do rio Paraguai. Os principais rios da bacia do rio Amazonas são o Araguaia e seu afluente o rio das Mortes, o Xingu, o Juruena, o Teles Pires e o Roosevelt.

O rio Paraguai nasce ao norte de Cuiabá, na chamada Amazônia mato-grossense. Seu principal rio afluente em território mato-grossense é o Cuiabá, no sul do Estado.

Conheça Mato Grosso

BrasilAdentro – www.brasiladentro.com.br

Cuiabá – Capital de Mato Grosso

Cuiabá

Situada à margem esquerda do rio de mesmo nome, formando uma conurbação com o município de Várzea Grande, Cuiabá possui uma população de 551.098 habitantes  segundo o resultado do Censo do IBGE de 2010. A região metropolitana engloba ainda outros municípios como, Santo Antônio do Leverger e Nossa Senhora do Livramento, Acorizal e Chapada dos Guimarães, formando um aglomerado urbano próximo de atingir um milhão de habitantes.

PONTOS TURÍSTICOS E CULTURAIS:

 Cuiabá é uma capital com riquezas inestimáveis na área turística e cultural, cujo desenvolvimento surpreende os próprios habitantes. As ofertas de entretenimento noturno, regadas a uma variada gama de opções gastronômicas, são ilimitadas e fazem o deleite de quem gosta de se aventurar pela boemia e sacolejar o corpo em ritmos regionais e abrasileirados, em boates e danceterias. Sem falar nos modernos shoppings situados em locais estratégicos da cidade, ótima opção para saborear pratos típicos e assistir a lançamentos cinematográficos.

É importante salientar que Cuiabá fascina de maneira natural todos aqueles que aparecem por aqui, seja de passagem ou para curtir sua simplicidade hospitaleira, surpreendendo-se com a quantidade de cadeiras nos passeios e famílias em animados bate papos. A poucos minutos do centro da Capital é possível presenciar esse tipo de cena, algo ainda muito natural para o povo cuiabano, acostumado a esse ritmo de  confraternização.

Um passeio pela ala comercial da cidade, especialmente nos calçadões centenários, permite ao turista ter acesso a informações importantes sobre o processo histórico do Município e do próprio Estado. A alegria expansiva do cuiabano também concorre para amenizar o incômodo causado pelas altas temperaturas locais, em torno de 38º,  e… 42º a 44º.

Cuiabá consegue ser uma Capital de Estado sem perder seu charme. Só para se ter  ideia, a cidade faz divisa com Chapada dos Guimarães e suas belas cachoeiras – um passeio imperdível. Que, aliás, pode ser esticado à parte Norte do Pantanal e, também, à rica fauna e flora. Em apenas duas horas, a partir da Capital mato-grossense, o turista aporta na cidade sede do miolo pantaneiro, Poconé, que acessa os logradouros turísticos mais famosos da região alagada (Porto Cercado, Porto Jofre, Sesc Pantanal e outros). A maioria dos visitantes sempre se encanta ao presenciar a liberdade dos animais da região, jacarés, onças, pacas, macacos, répteis e aves de coloração impressionante.

Os demais pontos turísticos se espalham até o município de Chapada dos Guimarães (Portão do Inferno, Cachoeirinha, Véu de Noiva, Casa de Pedras, Pousada Penhasco, Mirante). De  Chapada dos Guimarães a Campo Verde, município mais próximo, há outros lugares igualmente paradisíacos, que os turistas têm procurado por não haver proibições comuns aos demais pontos localizados nas margens da Rodovia Emanuel Pinheiro, no território cuiabano e chapadense.

Por Água Fria, distrito de Chapada, é possível chegar ao Lago do Manso, viagem de cerca de 65 quilômetros, que pode ser igualmente acessado por rodovia asfaltada a partir de um trevo próximo à sede da PRE – Polícia Rodoviária Estadual, a cerca de 20 quilômetros de Cuiabá.

Vale lembrar que Cuiabá concentra o ponto de partida para diversos cenários de belezas locais e interioranas, a exemplo do cerrado do interior do Brasil e a Amazônia.

Para entender melhor a história da cidade, aconselha-se uma visita à Fundação Cultural, que conta com quatro museus: o Museu de História Natural; de Antropologia; de Arte Sacra; e o Museu Histórico, além de um ateliê livre. Outros dois museus importantes são o Museu Rondon e o Museu de Pedras Ramis Bucair, que tem belos acervos de trabalhos indígenas e pedras das mais diversas, incluindo um meteorito e um fóssil de dinossauro.

Já a cultura, o misticismo e a fé do povo cuiabano podem ser observados n a Catedral Metropolitana, na Igreja de São Gonçalo, do Rosário, de Nossa Senhora do Bom Despacho, e na de Nossa Sra. Auxiliadora. Todas têm uma história muito interessante para contar sobre sua construção, ou mesmo sobre as peças e obras que abrigam.

A cidade também é ótima para as compras: do artesanato indígena aos doces típicos e licores caseiros.  Além de tudo isso, os fãs de comidas regionais ficam satisfeitos com os deliciosos pratos servidos nos restaurantes, a grande maioria à base de peixes da região, como a piraputanga. Não podem ser esquecidas as interessantes danças típicas, como o Rasqueado, o Cururu e o Siriri, que, apesar de já não tão presentes no dia a dia dos moradores, nunca são esquecidas, bem como todas as outras tradições e costumes desse povo que vive no Centro Geodésico da América do Sul.

Conheça mais – http://www.cuiaba.mt.gov.br/

By TurismoMT

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: