Número de cidades com potencial turístico em MT diminuiu, diz pesquisa

Quantidade caiu de 89 para 77, segundo o Mapa do Turismo 2016.
Pelo levantamento, Mato Grosso é dividido em 14 regiões turísticas.

Tuiuiú (sobre o tronco), ave-símbolo do Pantanal mato-grossense, e colheireiros (Foto: Carolina Holland/G1)

Tuiuiú (sobre o tronco), ave-símbolo do Pantanal mato-grossense, e colheireiros (Foto: Carolina Holland/G1)

Desde 2013, o número de municípios de Mato Grosso com potencial turístico diminuiu de 89 para 77 em 14 regiões turísticas, conforme o Mapa do Turismo 2016 divulgado nesta terça-feira (12) pelo Ministério do Turismo. Os municípios são divididos em cinco categorias, de A a E, sendo que A, B e C contam com 95% dos empregos formais em hóteis e afins, 87% dos locais formais de meios de hospedagem, 93% do fluxo doméstico e fluxo internacional.

Para Diego Augusto Orsini Beserra, coordenador de pesquisa e planejamento do Turismo em Mato Grosso, o fato de haver menos municípios do estado na lista não significa, necessariamente, algo ruim.

“Ou o município não atendeu aos critérios ou não teve a intenção de participar. Não vejo como algo ruim, até porque o mapa não é estático e vai ser atualizado. E as principais cidades em relação ao turismo no estado estão na lista”, disse.

Os critérios para que os municípios pudessem entrar na lista são ter órgão responsável pelo turismo, dotação orçamentária para o turismo e assinar um termo se comprometendo a participar do programa de regionalização do turismo do estado, disse Beserra.

“Dentro de uma região, é identificada qual cidade tem a oferta principal, a complementar e as de apoio às atividades turísticas, ou seja, não necessariamente o município tem que ter grande potencial, mas sim oferecer algo que possa fomentar o turismo naquela região, como produção de baru e artesanato, por exemplo”, explicou o coordenador.

Em Mato Grosso, segundo o mapa, somente Cuiabá está na categoria A, sendo que Várzea Grande, Cáceres, Rondonópolis, Barra do Garças e Sinop estão na categoria B. Na categoria C estão 19 municípios, entre eles Chapada dos Guimarães, Alta Floresta, Poconé, Aripuanã, Nova Xavantina e Primavera do Leste.

Os municípios nas categorias D e E têm características de apoio às cidades geradoras de fluxo turístico, sendo quem muitas vezes são aquelas que fornecem mão de obra ou insumos necessários para atendimento aos turistas. Os que saíram da lista anterior, que tinha sido divulgada em 2013, era dessas categorias (sendo 6 da D e 7 da E).

No Brasil, o número de cidades com potencial turístico diminuiu de 3.345 municípios em 303 regiões turísticas em todo o país, para 2.175 municípios em 291 regiões turísticas.

Entre os municípios que saíram estão Campinápolis, Cocalinho, Alto Taquari, General Carneiro, Pontal do Araguaia, Brasnorte e Castanheira.

As 14 regiões turísticas de Mato Grosso, segundo o Mapa do Turismo, são:

Região Turística Pantanal Mato-Grossense (Barão de Melgaço, Cáceres, Nossa Senhora do Livramento, Poconé e Santo Antônio do Leverger);

Região Turística das Nascentes (Barra do Bugres, Campo Novo do Parecis, Sapezal e Tangará da Serra);

Região Turística Cristalino (Alta Floresta, Carlinda, Nova Bandeirantes, Nova Monte Verde e Paranaíta);

Região Turística Domo de Araguainha (Alto Araguaia, Alto Garças, Guiratinga, Ponte Branca e Torixoréu);

Região Turística Metropolitana (Cuiabá, Várzea Grande);

Região Turística Nascentes do Rio Cuiabá (Acorizal, Chapada dos Guimarães, Diamantino, Jangada, Nobres, Nortelândia, Rosário Oeste, São José do Rio Claro);

Região Turística Portal da Amazônia (Colíder, Guarantã do Norte, Itaúba, Marcelândia, Matupá, Nova Canaã do Norte, Peixoto de Azevedo);

Região Turística Portal do Agronegócio (Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Nova Ubiratã, Sinop e Sorriso);

Região Turística Portal do Araguaia (Barra do Garças, Canarana, Luciara, Nova Xavantina, Novo São Joaquim, Santa Terezinha, São Félix do Araguaia);

Região Turística Rota dos Ipês e das Águas (Itiquira, Poxoréo, Primavera do Leste e Rondonópolis);

Região Turística Vale do Cabaçal (Araputanga, Curvelândia, Lambari D’Oeste, Mirassol d’Oeste, Reserva do Cabaçal, Rio Branco, Salto do Céu e São José dos Quatro Marcos);

Região Turística Vale do Guaporé (Comodoro, Conquista D’Oeste, Jauru, Nova Lacerda, Pontes e Lacerda, Vila Bela da Santíssima Trindade);

Região Turística Vale do Juruena (Aripuanã, Cotriguaçu, Juara, Juína, Juruena, Porto dos Gaúchos e Tabaporã);

Região Turística Vale do São Lourenço (Campo Verde, Dom Aquino, Jaciara e Juscimeira).

Fonte: G1

TURISMOMT

NOVA ARTE TURISMOMT RGB

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: