Destino – Republica Dominicana – Punta Cana

As  praias, brancas e cheias de palmeiras, são célebres. Mas a República Dominicana possui também paisagens generosamente tropicais, parques selvagens e aldeias de choupanas multicolores onde hospitalidade rima com merengue.

riu-taino-strand-002-1024

Já todos ouviram falar das suas praias, dos seus resorts all inclusive e, é claro, de Punta Cana. Mas a República Dominicana tem mais para oferecer. Paraíso tropical a preços acessíveis, este é um país que se bamboleia, que ondula lentamente as ancas, entre as suas colinas verdes e luxuriantes. Um país real à imagem da estrada que guia os peregrinos, a pé, no dorso de mulas ou em autocarros vacilantes, ladeada de mangueiras e de palmeiras. Caminham na direcção de Higüey, pequena cidade do leste do país e santuário da Virgem de Altagracia, padroeira dos dominicanos.

0003a3450ea387

Ocupando dois terços da ilha de Hispaniola, a leste do Haiti, a República Dominicana dissimula, nos seus relevos interiores, paisagens infinitamente férteis e variadas. Assim, na região de Cibao, o jardim do centro do país, distribuem-se os arrozais, as culturas de morangos e de orquídeas, os espessos campos de tabaco. Em Jarabacoa, os sopés do Pico Duarte, o mais alto das Caraíbas (3172 metros), cobrem-se de pinheiros e cascatas. É o cenário ideal para a prática de rafting, trekking e parapente, desportos cada vez mais populares entre os muitos turistas que visitam o país.

resort-en-punta-cana

O gringo, o ocidental, é um animal conhecido. Não se procura, mas acolhe-se com um sorriso hospitaleiro. É sabido que, há alguns anos, descobriu os litorais do país – 1500 quilómetros de costa, dos quais um terço de praias fascinantes cujas areias brancas, à sombra dos coqueiros, mergulham nas águas de um azul-turquesa profundo.

Aceita-se até com bastante agrado a construção de Punta Cana, um local pensado para servir o turismo, um novo el-dorado para os operadores turísticos, constituído por 44 quilómetros de orla marítima, onde se situam mais de 30 hotéis e resorts “tudo incluído”. Uma fórmula de sucesso a avaliar pela sua taxa de ocupação elevadíssima. Porém, ainda há zonas onde não é permitido construir. Como a ilha Saona, no perímetro do Parque Nacional do Este, onde, no meio das praias, uma aldeia de pescadores, de choupanas de cores pastel, continua a viver, tranquila, sob o voo das fragatas.

punta-cana-la-cana-golf-club-03-300res-705626

Mais preservada ainda, na extremidade oeste desta costa sul, a península da Barahona oferece, ao longo da sua estrada marginal, panoramas selvagens e agrestes. Marés de árvores da borracha, de palmeiras e de poincécias resvalam pelas falésias, enlaçando as praias de areia e seixos.

O mar, cor de esmeralda e acarneirado, é um tanto assustador. Os domi-nicanos preferem-lhe as suas cascatas e balneários, represas de água verde cristal. Detemo-nos para beber de um coco acabado de abrir, para olhar os jovens casais que se chapinham à sombra trémula das bananeiras. No dizer dos dominicanos, um banho traz sempre a felicidade.

punta-cana-beach

Mesmo a província de Baoruco, a norte de Barahona, que estende os seus relevos desérticos salpicados de cactos, uma paisagem tão estranha em plenas Caraíbas, possui a sua riqueza, o lago Enriquillo, um vasto lago salgado povoado por crocodilos, iguanas e flamingos rosados.

http://www.destinosdeviagem.com

By TurismoMT

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: