De imediato, criação de Geopark pode incrementar turismo em 10%

Comissão em visita a região da Cacimba.

A criação do Geopark Bodoquena-Pantanal, que abrange áreas de 11 municípios sul-mato-grossenses, incluindo Corumbá, pode representar uma importante diversificação do turismo praticado na região. “A criação de um geopark pela Unesco é o reconhecimento mundial do valor geológico da localidade”, definiu o coordenador da Paisagem Natural do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Carlos Fernando Delfim. Integrante da equipe técnica que trabalhou na criação do Geopark Araripe – o único das Américas, homologado pela Unesco em 2006 -, Delfim estimou um crescimento de pelo menos 10% na atividade turística já no primeiro ano de criação do parque.

Segundo ele, a sustentabilidade econômica do geopark é um dos principais focos da Unesco. “Por isso é preciso desenvolver ações voltadas também para a educação, defender um programa de valorização grande, principalmente junto aos moradores desta localidade”, afirmou Carlos Fernando. “O planeta tem páginas que podemos ler, assim como páginas de um livro. É importante saber como tudo isso se formou, até para defendermos aquilo que temos de valor”, complementou o coordenador do Iphan, que nesta segunda-feira (20) acompanhou a visita das pesquisadoras da Comissão de Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura da Unesco a Corumbá.

Depois de visitar a região da Cacimba da Saúde, no bairro da Cervejaria, o grupo acompanhou uma apresentação do Banho de São João nas margens do Rio Paraguai. Tocadores do cururu, comandados pelo mestre Agripino Magalhães, demonstram um pouco do ritmo tradicional do Pantanal aos visitantes. A alegria e a irreverência do povo pantaneiro chamaram a atenção do representante do Iphan Nacional. “Isso me comoveu muito. Talvez o mais importante bem que temos a preservar é a alegria e o amor desta gente”, comentou Delfim.

Após o banho do Santo, o grupo foi recebido pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) no Centro de Convenções do Pantanal. Na oportunidade, o chefe do Executivo municipal deixou a Administração inteiramente à disposição do Iphan e da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul. “Unidos podemos fazer tudo o que for possível para que este geopark se concretize”, afirmou.

Ruiter também valorizou as belezas naturais que cercam a cidade e o jeito de ser do corumbaense. “Corumbá é dotada de várias riquezas, como o Pantanal, reconhecido como Reserva da Biosfera Mundial pela Unesco; temos o maior rebanho bovino do País; e temos, acima de tudo, nossa maior benção: o povo corumbaense com toda sua alegria e vontade de viver”, conclui. Nesta quarta-feira (21), o grupo conheceu o Moinho Cultural Sul-Americano e, no final da manhã, seguiu para Campo Grande.

Também participaram do evento O prefeito de Ladário, José Antônio Assad e Faria (PT); a presidente da Fundação de Turismo, Nilde Brun, presidente do Conselho Gestor do Geopark Bodoquena-Pantanal; a superintendente do Iphan em Mato Grosso do Sul, Margareth Lima; os secretários Cássio Augusto da Costa Marques (Gestão Governamental), Daniel Martins Costa (Finanças e Administração), Lauther Serra (Saúde), Hélio de Lima (Educação); Heloísa Urt (superintendente de Cultura e Turismo), Luciene Deová (diretora-presidente da Fundação de Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário), Rodolfo Assef Vieira (superintendente de Turismo) e José Antônio Garcia (superintendente de Cultura).

Fonte: Por Assessoria de Imprensa PMC

http://www.correiodecorumba.com.br

By TurismoMT

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: